Mostrando postagens com marcador Receitas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Receitas. Mostrar todas as postagens

Momento Gordura: Coxinha cremosa

25 novembro 2015

Coxinha Petralha da Dilma- Saudando a Massa de  Mandioca

Oláaaaaa crianças???
Estavam com saudade de mim?
Quem disser que sim vai ganhar coxinha!
Mentira, porque como boa "coxinha", eu não vou dar o peixe, mas ensinar a pescar.
Mentira, que eu não sou "coxinha", e pra mim coxinha bom é coxinha frito frita.
Esta coxinha é deliciosa, cremosa, e parece que vai dar muito errado, mas dá muito certo.


Apenas atentem pras quantidades, pois ela foi um experimento, e eu fui fazendo tudo bem contadinho, pela primeira vez na vida.

 
Foto meramente ilustrativa, porque pra variar eu esqueci de tirar. Mas assim que fizer de novo eu posto a minha pra vocês. PS: Ela fica BEM mais cremosa que essa.



Bora fazer essa bagaça?

Momento Gordura: Desejos grávidos literários - Irish stew e Yorkshire Pudding.

03 junho 2015

Oláaaaaaa!!!!!

Gente, só pra deixar bem claro: Eu não estou grávida, mas minhas vontades são de grávida. Huhauahhauhauhauah.

Daí que depois de uma semana comendo miojo frio por conta de uma cirurgia do siso, eu estava AGUANDO por uma comida muito, mas muito boa e muito, mas muito quente mesmo.

Junte isso ao fato de eu assistir muitos chefs britânicos no GNT e estar lendo um livro que se passa na Irlanda, e surge o magnífico Irish Stew, que TINHA QUE SER comido acompanhado de Yorkshire Pudding, porque sim. Não me pergunte o que eu não sei responder.

Ca-la-ro que foi um Irish stew adaptado, já que os legumes daqui não são os mesmos de lá, e eu não sou rica pra fazer picadinho com cordeiro, e talz.
Mas o que vale é a essência da coisa, que é ser um cozido de carne e raízes e pura delícia (e um pouco de cerveja, mas isso é capaz de gerar muita discussão entre os irlandeses).

Segue a receita dele (que nem acho que precise ensinar brasileiro a fazer picadinho, mas vá lá) e do Yorkshire pudding, que é a coisa mais linda da vida, um pãozinho inventado única e exclusivamente pra poder "tchutchar" no caldo das carnes. MUITO AMOR.
Ele é facílimo de fazer, com o único porém de precisar de alguma antecedência, porque segundo os entendidos, a massa fica melhor se descansar por algum tempo na geladeira. Nenhum grande problema, já que o ensopado deve ficar cozinhando por pelo menos umas duas horas. Apenas comece pela massa, e siga para o ensopado, voltando a pensar no pãozinho quando a carne já estiver quase pronta.

Confuso? Calma, que eu explico tudin!

Cansei de Ser Fit: Petit Gateau e minhas vontades grávidas

08 abril 2015

Eu não sou apenas gorda. Sou uma gorda com requintes de crueldade. Tenho vontades extremamente específicas, que se não forem sanadas EXATAMENTE da forma como minha mente gorda maquinou, não me abandonam de forma alguma.

Pra vocês terem uma ideia, eu estava com vontade de COXINHA, mas não era uma coxinha qualquer, era a coxinha da rotisseria da rua onde morava meu ex namorado, que eu considero a melhor do mundo. Daí que por 8 meses (tempo que ele se mudou + tempo que efetivamente terminamos) eu comi todas as coxinhas da Terra, MENOS a coxinha da Pasta Nobre... O resultado foi que ontem a gordinha rolou por quase três km a pé da psiquiatra até o bendito lugar onde fazem minha preciosa coxinha, pra que eu pudesse enfim parar de comer todas as coxinhas do mundo sem me saciar.

Esse tipo de história é recorrente na minha vida. Dias em que eu acordo com DESEJO de panquecas assim, assim e assado, macarrão de um formato ESPECÍFICO, e todo tipo de bizarrices, e se não for desse jeito meu filho nasce com a cara de qualquer coisa. Porquê minhas vontades são insuportavelmente de grávida, e não há meio termo com elas.


Todo esse prelúdio pra dizer que : sim, domingo de páscoa e me atacam as malditas lombrigas de grávida, me dizendo que todo chocolate de páscoa seria em vão, se ele não viesse em forma de uma coisa cremosa, com um recheio melequento e quentinho.

Cansei de Ser Fit: A torta que eu roubei do Jamie Oliver *Editado*

27 março 2015


Essa foi a minha torta, ainda bem que não tenho que viver das minhas fotos. Ao vivo tava BEEEMMM mais bonita! Rsrsr

Oláaaaaaa crianças!!!
A tia voltou com o momento gordura, porque achei inevitável, já que esta linda festa glutônica que é a Páscoa se aproxima.
Se você gosta um tantinho que seja de peixe, não importa se você não é lá muito católico (ou absolutamente nada católico, no meu caso): Suas lombrigas estarão CLAMANDO por peixe lá pela semana da Páscoa.
Isso porquê a Ana Maria, o comercial do Extra, a sua mãe, o seu cachorro SÓ FALAM EM PEIXE.


 
Resolvi então trazer pra vocês essa receita que eu roubei do Jamie Oliver (ela está no livro Jamie Oliver - O Retorno do Chef Sem Mistérios  e ele também a apresenta em seu programa Economize com Jamie, com o nome de "Fantastic Fish Pie") e transformei numa coisa assim extremamente de pobre, mas ainda gostosa.
Explico: Na torta original, Jamie usa Haddock, Bacalhau, Camarão, Cheddar envelhecido, espinafre, o escambau, e eu não tô podendo.
Resulta que eu transformei essa chiquetância toda numa torta de pescada branca congelada com o legume que tiver no fundo da geladeira e, adivinha: é a melhor receita de peixe que eu já comi nessa vida.
Segue o conselho da tia: anota isso e faz em casa. Na páscoa ou no dia que tiver um peixe sobrando. "Fantástica" é o nome exato pra essa receita.

Ingredientes:


  • 1 kg de batatas
  • 4 ovos cozidos e picados (Ou mais. Pra ser sincera, eu adoro ovo, então sempre que dá ponho mais um pouco)
  • 1 maço de Brócolis ( Ou um pacote de brócolis congelado. Ou espinafre, ou escarola, ou qualquer folha verde escura que você goste.)
  • 1 cebola picada
  • 1 cenoura picada em cubinhos pequenos
  • azeite
  • 1 caixa de creme de leite
  • 100 gr. de queijo parmesão ralado ( não precisa ser nenhum parmigianno reggiano, mas também não precisa ser aqueles de fubá com calcanhar ralado. Um queijinho de pacote mais ou menos já deixa a receita boa)
  • suco de 1 limão
  • 500 gr de pescada branca em cubos
  • salsinha
  • ervilhas congeladas (ou vagem, da vez que usei vagem cozida ficou mais gostoso até, mas eu piro em ervilhas - a do Jamie não tem ervilha, Jamie bobão :-P )

Cansei de Ser Fit: Cheesecake Truqueiro - de ricota é mais legal.

28 janeiro 2015


Você deve estar aí pensando: OI???? A AMANDA CHEIROU, GENTE!
Mas não. Eu tô bem, tô careta e tô sussa.


O Blog também tá tranquilo. Não vamos transformar o nosso cantinho literário de vocês na cozinha da vovó Palmirinha.
Num belo dia de dezembro, eu postei a foto do meu famoso (aqui em casa) cheesecake com geléia de morangos, e a Kris me pediu a receita, explicadinha, nos mínimos detalhes, eu fui lá e fiz.
Claro, não sem a minha babaquice habitual.
E foi aí que a Kris me perguntou se eu não queria fazer a mesma patacoada aqui no blog.
Macaco quer banana?
Pois bem, depois de muito pensar em como colocar essa coisa toda pra funcionar, aqui vai, a receita de Cheesecake Truqueiro, cheio de hacks, pra não ter erro.
Se você quer o New York Cheesecake tradicional, procure outra receita. Essa aqui é uma bagunça deliciosa de minha autoria, pra agradar o paladar da ,minha irmã mimada. Huahuahauhauhau


INGREDIENTES:
Base da torta
1 pacote de bolacha maisena ( triture aos poucos no liquidificador para que vire uma farofa)
100 gr de margarina sem sal gelada

Creme de ricota
400 gr de ricota
1 lata de leite condensado
2 ovos
1 colher de chá de extrato de baunilha

Geléia de morango
2 bandejinhas de morango
1 xíc de açúcar
2 xíc de água
½ xíc de vinho branco (opcional)
1 folha de gelatina incolor sem sabor hidratada com cerca de 5 colheres de água (se você quiser uma caldinha mole, não utilize a gelatina)