Mostrando postagens com marcador L&PM. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador L&PM. Mostrar todas as postagens

Lançamentos L&PM Editores

05 abril 2016

Oi gente,

hoje venho trazer pra vocês os últimos lançamentos do Grupo L&PM Editores:

QUEIMANDO NA ÁGUA, AFOGANDO-SE NA CHAMA
Charles Bukowski
Tradução de Pedro Gonzaga
O lado sombrio do sonho americano
Álcool, apostas e mulheres: estes foram alguns dos temas que consagraram Charles Bukowski como um dos maiores escritores underground contemporâneos. Mas em Queimando na água, afogando-se na chama, fica evidente que ele já explorava tais assuntos muito antes de se notabilizar como o “velho safado”. Esta coletânea de poemas, escritos originalmente entre 1955 e 1973, pinta o retrato do autor como um ilustre desconhecido, no auge de seus trinta anos. Entre porres e reflexões, corridas de cavalo e amantes (sem contar uma passagem alucinada por Nova Orleans), Bukowski testa limites não apenas no seu dia a dia, mas também nos vários experimentos poéticos que realiza no período – já demonstrando a verve que o tornaria famoso anos mais tarde.
Nos quatro livros que compõem esta genial coleção – Meu coração tomado em suas mãos (1963), Crucifixo em uma mão morta (1965), Na rua do terror e no cami­nho da agonia (1968) e Queimando na água, afogando-se na chama (1974) –, o autor reuniu alguns dos poemas que ele próprio considerava seus melhores. Com um estilo mais romântico e idealista, mas sem deixar de lado a voz áspera que o caracteriza, o jovem Buk esmiúça de forma ao mesmo tempo mordaz e melancólica o lado sombrio do sonho americano.
Informações Gerais

Resenha: Queimando Na Água, Afogando-se Na Chama

29 fevereiro 2016



Título Original: Burning In Water, Drowning In Flame
Editora: L&PM Pocket
Gênero: Literatura estrangeira, Poesia
Série: Bukowski
ISBN:13: 978-85-254-3401-2
Páginas: 288
Sinopse: Álcool, apostas e mulheres: estes foram alguns dos temas que consagraram Charles Bukowski como um dos maiores escritores underground contemporâneos. Mas em Queimando na água, afogando-se na chama, fica evidente que ele já explorava tais assuntos muito antes de se notabilizar como o “velho safado”. Esta coletânea de poemas, escritos originalmente entre 1955 e 1973, pinta o retrato do autor como um ilustre desconhecido, no auge de seus trinta anos. Entre porres e reflexões, corridas de cavalo e amantes (sem contar uma passagem alucinada por Nova Orleans), Bukowski testa limites não apenas no seu dia a dia, mas também nos vários experimentos poéticos que realiza no período – já demonstrando a verve que o tornaria famoso anos mais tarde.

Resenha: Delta de Vênus - Anaïs Nin

15 fevereiro 2016






Ficha Técnica:Edição: 1
Editora: L&PM
ISBN: 852541395X
Ano: 2005
Páginas: 304
Sinopse: Prostitutas que satisfazem os mais estranhos desejos de seus clientes. Mulheres que se aventuram com desconhecidos para descobrir sua própria sexualidade. Triângulos amorosos e orgias. Modelos e artistas que se envolvem num misto de culto ao sexo e à beleza. Aristocratas excêntricos e homens que enlouquecem as mulheres. Estes são alguns dos personagens que habitam os contos eróticos de Delta de Vênus, de Anaïs Nin. Escritas no início da década de 40 sob a encomenda de um cliente misterioso, estas histórias se passam num mundo europeu-aristocrático decadente, no qual as crenças de alguns personagens são corrompidas por novas experiências sexuais e emocionais. Discípula das descobertas freudianas, Anaïs Nin aplicou nestes textos a delicadeza de estilo que lhe era característica e a pungência sexual que experimentou na sua própria vida. Mais do que contos eróticos, Delta de Vênus oferece ao leitor histórias de libertação e superação. Esta nova tradução de Delta de Vênus traz pela primeira vez ao leitor brasileiro os contos Pierre e Marcel, que haviam sido suprimidos da edição anterior.

Alice no País da Leitura #2: Penny Perigo - Só Atrai Confusão de Joanna Nadin

07 dezembro 2015


Edição: 1
Editora: L&PM
ISBN: 9788525432650
Ano: 2015
Páginas: 140
Tradutor: Alexandre Boide
Sinopse:
Meu nome na verdade não é Penny Perigo É Penelope Jones. Essa coisa de “Perigo” é uma BRINCADEIRA do meu pai. Mas eu não vejo graça nenhuma.Além disso, não é verdade que eu seja um perigo. É só que às vezes minhas IDEIAS BRILHANTES não são assim tão brilhantes. Tipo, não era minha intenção deixar a minha priminha careca e coberta de cola, e eu também não queria roubar o cachorro do vizinho nem fazer ele falar... Não é culpa minha. Não é de propósito. É que eu só atraio confusão.
Finalista do Roal Dahl Funny Prize; vencedor do Surrey Book Award e selo de Livro do Ano 2011 da BookTrust.

Novidades L&PM - Um novo Frankenstein - nos cinemas e nas livrarias ♥

24 novembro 2015


Um filme com nome, sobrenome e uma história de terror clássica para contar. "Victor Frankenstein", nova adaptação da famosa obra de Mary Shelley estreia nesta quinta-feira, 26 de novembro, no Brasil.

O longa reconta a história do brilhante cientista Victor Frankenstein que tem o sonho de reanimar os mortos. James McAvoy está no papel título e, ao seu lado, vemos Daniel Radcliffe (o protagonista da série Harry Potter) como seu assistente Igor Strausman. Igor acompanha horrorizado a transformação de seu mestre que vai perdendo todo limite e ética. Fiel ao colega (aqui é mais colega do que mestre), Igor tenta salvá-lo antes que a loucura vá longe demais e traga terríveis consequências. Vale lembrar que Igor não foi criado por Mary Shelley e aparece apenas nos filmes, não no livro.

"Victor Frankenstein" tem a direção de Paul McGuigan, mais conhecido por ser o diretor de alguns episódios da série britânica Sherlock. Veja aqui o trailer legendado:


Para os que ainda não leram a história original de Mary Shelley, escrita quando ela tinha apenas 19 anos, a L&PM Editores tem Frankenstein na Coleção L&PM Pocket e está lançando um novo volume, em formato maior, que chegará às livrarias em dezembro.

Resenha: Mrs Dalloway de Virginia Woof - Por Genyff de Farias

22 outubro 2015




Edição: 1
Editora: L&PM Pocket
Ano: 2012
Páginas: 224
Sinopse:
Num aprazível dia de verão do ano de 1923, Clarissa Dalloway, representante da elite londrina, se prepara para a festa que dará à noite. Ela sai para comprar as flores para a ocasião e, enquanto caminha pela cidade, os mais variados pensamentos ocupam sua mente – muitos dos quais não seriam adequados para uma dama da alta sociedade. Clarissa pensa em Peter Walsh, velho amigo cuja proposta de casamento recusou décadas atrás; repassa suas escolhas de vida, seus momentos de mais intensa felicidade, seu casamento com Richard Dalloway; pensa na filha adolescente, Elizabeth, em miudezas da existência e no esplendor da vida.
Iniciando com o ponto de vista de Clarissa, Mrs. Dalloway – publicado pela primeira vez em 1925 – inova a arte romanesca de forma a um só tempo delicada e radical ao alternar o foco narrativo de um personagem para outro e ao lançar mão do fluxo de consciência como maneira de acompanhar seus sentimentos, suas sensações e suas reflexões. Passado num só dia, o romance é rico em flashbacks e flashforwards, misturando, além disso, discurso direto e discurso indireto livre. Com Mrs. Dalloway, considerado por muitos sua obra mais importante, Virginia Woolf (1882-1941) comprovou que ações corriqueiras, cotidianas – como comprar flores –, podem ser tema de grande arte, e que a vida e a morte acompanham todos os momentos da existência humana.

Resenha Especial: As Pessoas Parecem Flores Finalmente - Charles Bukowski

17 agosto 2015

Oi gente. 
Vocês devem estar estranhando o porque daquele "ESPECIAL" no título da resenha, não é? A gente nunca faz disso por aqui, mas esse livro, sem dúvidas não é qualquer livro, assim como esse autor, poeta, dramaturgo não é qualquer cara, mesmo nunca tendo se importado de ser chamado de um qualquer. Hoje resenharemos um Puro Sangue Bukowskiano. Um livro póstumo de poesias inéditas desse velho safado que continua atraindo uma legião de fãs hoje, tantos anos após sua morte.

Mas, esse não é o único motivo que me fizeram tornar essa uma resenha especial, ontem se estivesse vivo Buk teria completado 95 anos e essa é a minha singela forma de homenagem. 

"Obrigada, velho safado, por me tocar tanto com as suas palavras, que são tão minhas."

As Pessoas Parecem Flores Finalmente - Em um poema publicado postumamente, Charles Bukowski (1920-1994) escreveu que teria tido êxito na vida “se vocês lerem isso muito tempo depois de eu morrer”. Pois bem, a julgar por esse critério, o velho safado de fato teve êxito: este é o quinto e último volume póstumo composto integralmente por poemas inéditos. Dividido em quarto partes, o livro foi publicado nos Estados Unidos em 2007, com grande aclamação de público e crítica.
As composições da primeira parte versam sobre incidentes ocorridos antes de Bukowski começar a publicar mais prolificamente, na década de 1960. A segunda parte reúne textos sobre mulheres. A terceira, sobre loucuras e vicissitudes da vida cotidiana de um escritor; e a quarta parte exemplifica a sabedoria bukowskiana. Versos broncos sagazes, rápidos, testemunham sua devoção a corridas de cavalos, boxe e bebida; suas aventuras e seus fracassos sexuais; seu desprezo por literatos empolados e seu ambivalente anseio por fama literária. Parte dos poemas é pura nostalgia; alguns dos mais memoráveis registram as ansiedades do artista e seu deleite ao cuidar da filha bebê. Um tom observacional, reflexivo, permeia o livro do início ao fim, fazendo deste, para muitos leitores, um de seus mais pungentes volumes poéticos.

Novidades: Próximos Lançamentos L&PM Editores

15 agosto 2015



Crônicas, romances e muito mais

Resenha: Quando o Vento Sumiu - Graciela Mayrink

03 agosto 2015


Ficha Técnica
Edição: 1
Editora: L&PM Editores
ISBN: 9788525432742
Ano: 2015
Páginas: 264
Compre em Pré-venda R$ 35,00
Sinopse:
Quando o vento sumiu - Suzan, Mateus e Renato parecem três jovens como outros quaisquer do Rio de Janeiro. Suzan estuda Turismo. Renato e Mateus, Engenharia Civil. Os três são amigos desde o colégio e, apesar de muito diferentes, são inseparáveis. Mas, entre aulas, festas, momentos em família e idas à praia, cada um deles enfrenta seus problemas. Desde que o pai foi pego dando um golpe, Mateus vive só com a mãe, marcado por esse acontecimento. Renato é um garoto rico que resiste às pressões do pai para surfar menos e se interessar mais pela construtora da família. Suzan é apaixonada por Renato e sofre por ser considerada apenas uma amiga – e pela pressão da mãe para que se envolva com ele. No correr dos dias, a amizade dos três se transforma sutilmente. Suzan deve se declarar ao amigo, ou tentar ser feliz de outro modo? Mateus terá realmente só a amizade para lhe oferecer?Renato deve se render à pressão paterna e se aplicar mais aos estudos? E até que ponto a relação dos três suportará o desgaste do tempo?
Embora tenham toda a vida pela frente, logo descobrirão uma dura lição: algumas escolhas têm consequências duradouras e alteram o curso de toda uma existência. Muitas coisas saem diferente do desejado. O difícil é prever o resultado de nossas opções e conviver com elas no futuro.
E se você pudesse voltar atrás e escolher outro final para a sua história? Que escolha você faria diferente?

Barbara Stok, autora de Vincent, virá ao Brasil para evento sobre literatura holandesa

03 julho 2015


A Holanda tem escritores produzindo literatura de alta qualidade, mas ainda pouco conhecidos mundo afora. Para divulgar seus autores, o governo holandês criou um evento itinerante no qual escritores holandeses são levados para diferentes países com o objetivo de falar sobre sua obra, ministrar oficinas e discutir literatura junto a escritores locais. Depois de passar pela China, Itália, Espanha, Alemanha, Argentina, República Checa e Franca, o evento “Café Amsterdã” estará no Brasil em agosto e setembro.

Oito escritores virão da Holanda, entre eles, Barbara Stok, autora de Vincent , a bela graphic novel lançada pela L&PM que conta parte da vida de Van Gogh e que foi adotada pelo próprio Museu Van Gogh.

Em matéria publicada no jornal O Globo em 28 de junho, Barbara conta que, durante três anos, mergulhou em fontes deixadas pelo artista e que queria escrever um livro que não repetisse clichês sobre o pintor.

Resenha: Encontro com a Morte - Agatha Christie

23 junho 2015




Edição: 1
Editora: L&PM Editores
ISBN: 9788525432278
Ano: 2015
Páginas: 216
Tradutor: Bruno Alexander
Sinopse:
Encontro Com a Morte - Em uma viagem pelo exótico Oriente Médio, parte de um diálogo chega por acaso a Hercule Poirot: “Você entende que ela tem de ser assassinada, não entende?”. Consciente da gravidade da situação, Poirot esperará o momento certo para investigar o caso.
Enquanto isso, uma família de turistas americanos chama a atenção por onde passa em Jerusalém. A matriarca parece exercer um estranho domínio sobre os filhos, criando um clima de tensão que beira o sadismo. Uma jovem e curiosa médica se verá atraída por esse núcleo familiar – sem imaginar as consequências fatais. Quando a situação parece ter fugido ao controle, Poirot compreende o verdadeiro significado do diálogo, conduzindo a trama para um magistral desfecho.

“Duas vezes mais brilhante que Morte no Nilo , que já era brilhante.”
The Observer

Resenha: Assassinato na Casa do Pastor - Agatha Christie

15 junho 2015

Olá gente, hoje eu venho trazer a vocês nossa primeira resenha em parceria com a L&PM Editores. E o livro escolhido foi de ninguém menos que a minha diva Agatha Christie - A Rainha do Crime.
Se joguem comigo nessa resenha e vem entender porque eu gosto tanto de romances policiais.




Ficha Técnica

Edição: 1
Editora: L&PM
ISBN: 9788525432261
Ano: 2015
Páginas: 264
Tradutor: Henrique Guerra
Sinopse:
Assassinato na Casa do Pastor - St. Mary Mead. Um pacato vilarejo onde há quinze anos não ocorre um homicídio e onde as pessoas discutem a vida alheia tomando chá. Quando um sangrento crime acontece em plena casa do pastor, o alvoroço é grande. O arrogante inspetor Slack é escalado para investigar o caso. O mistério também intriga uma discreta moradora que gosta de jardinagem e de observar pássaros com seu binóculo, mas cujo principal hobby é o estudo do comportamento humano: Miss Marple. A estreia da sagaz velhinha, o aparecimento de personagens inusitados e a engenhosidade da trama fazem deste romance de 1930 um dos clássicos de Agatha Christie.

“Em plena forma – como aqui – Agatha Christie é difícil de superar .”
Saturday Review of Literature


Lançamentos L&PM Editores

01 junho 2015

Olá galerinha!
Hoje a a intenção da postagem é matar vocês de vontade.
É com grande prazer, e enorme sentimento de quero todos, que eu trago em primeira mão para os meus queridos leitores os lançamentos da L&PM Editores






Em breve sai a resenha de Coisas Bem Legais Para Ser Muito Feliz, vocês não perdem por esperar, o livro é lindo! Super colorido, cheio de mensagens fofas e ainda vem com mimos ♥
Mas, e aí curtiram os lançamentos? Querem ler quais, comentem aí pra eu ficar sabendo.
Beijos!

Parceria L&PM Editores

14 maio 2015

Oi gente, hoje eu venho com muita alegria apresentar a vocês a nossa nova editora parceira a L&PM Editores. Uma editora que é muito querida por nós, não só porque lança livros maravilhosos de autores renomados, que nós amamos como Agatha Christie, Charles Bukowski, Jack Kerouac (que eu ainda não li, mas só ouço falar muito bem), Martha Medeiros, entre outros. Mas também porque a L&PM foi a percursora no lançamento de livros em formato Pocket (de bolso) e assim popularizaram o acesso a literatura, distribuindo livros mais baratos, para quem não pode (ou não quer) gastar muito.

Então vocês podem imaginar o grau de animação dessa que vos escreve, né?
Pois é! Podem esperar que em breve eu trarei novidades da editora pra vocês.

Agora conheçam um pouco mais da editora :)

Lendo um Livro Nacional - Noite em Claro de Martha Medeiros

24 junho 2014


Sobre o livro? Eu queria que houvesse chovido mais...
Não entendeu???
Clique em leia mais e entenda!

Resenha de Pulp - Charlie Bukowski

26 abril 2014


Edição: 1
Editora: L&PM
ISBN: 9788525418630
Ano: 2009
Páginas: 175
Tradutor: Marcos Santarrita
Sinopse: Eis um Bukowski puro-sangue. Legítimo. Concluído alguns meses antes de sua morte, em março de 1994, aos 73 anos.

Não há como sair incólume desta história. A saga de Nick Belane poderia até ser igual a de tantos outros detetives de segunda categoria que perambulam pelas largas ruas de Los Angeles. Mas aqui, mulheres inacreditáveis cruzam pernas compridas e falam aos sussurros, principalmente uma que atende pelo nome de Dona Morte. Como nos velhos livros policiais de papel vagabundo, sub literatura pura, a quem Charles Bukowski dedica solenemente Pulp.

Ele desafia sua história com habilidade de mestre. Um Rebelais percorrendo o mundo noir? A divina sujeira? A maravilhosa sordidez? Um acerto de contas com a arte? Uma homenagem? Uma reflexão sobre o fim da vida? E tomara que a morte estivesse linda, gostosa e sexy – como está nesta história – quando encontrou o velho Buk poucos meses depois de ter posto o ponto final nesta pequena obra-prima.

Minhas opiniões sobre o livro:

Eu particularmente acho Bukowski um autor genial, apesar de ter conhecido as obras dele recentemente me identifico muito com seu estilo literário e muito o aprecio. Um estilo sem papas na língua, meio problemático e altamente marginal. Ele escrevia sobre o que ele vivia, sobre onde ele vivia, antros, bares, cortiços sujos e mal frequentados e seus personagens são os típicos habitantes desses lugares. Garçons, velhos beberrões (como ele o foi), mulheres sensuais e vulgares, prostitutas e também alguns habitantes nem tão típicos assim como Extraterrestres e a dona Morte. Suas características mais marcantes são o humor ácido, as frases de efeito, duplo sentido, os palavrões.